Site Balada CERTA

Drops

Gigetto Gigetto

11 avaliações

Endereço

Rua Avanhandava, 63 - Centro - São Paulo / SP
Tel.: 3256-6530, 3256-9804

Informações

  • Horário: Seg a Qui, das 11h45 às 15h30 e das 18h30 às 01h30 / Sex, das 11h45 às 02h / Sáb, a partir das 11h45 / Dom, das 11h45 à 1h
  • Preços: R$ 6,00 (pão italiano, manteiga, sardella, azeitonas, berinjela e torradas gratinadas).
  • Detalhes:
    • Estacionamento com manobrista
    • Comidas diversas

Descrição

O Gigetto é dos mais tradicionais restaurantes paulistanos. Fundado em setembro de 1938 pelos imigrantes italianos João Henrique Lenci e Luigi D Olivo, o Gigetto está na rua Avanhandava há 37 anos (desde 1969). É reconhecido como casa-escola e como um dos berços da cozinha italiana paulistana, consagrada internacionalmente. Com a sua cozinha aberta desde sempre, foi um dos primeiros restaurantes a apoiar as produções culturais (sobretudo do teatro) e se tornou parada de artistas, personalidades, autoridades, jornalistas, empresários, boêmios e gourmets. Este restaurante faz parte da cultura da cidade, disse Audálio Dantas, jornalista, em 20 de maio de 2006, após o almoço com a família. No competitivo setor de restaurantes da maior cidade brasileira, o Gigetto mantém portas abertas, com sucesso e freguesia fiel, há quase 68 anos (que completará em setembro de 2006). É referência histórica e chamado até de lenda.

Pelo Código de Endereçamento Postal (CEP), o Gigetto está no bairro da Consolação, mas muitos o situam na Bela Vista, ou Bixiga. Há 37 anos, o Gigetto está no número 63 da rua Avanhandava, início da também famosa rua Augusta. Ali mesmo, quase esquina com a avenida São Luiz, no cruzamento com a rua da Consolação, onde está a bela biblioteca municipal Mário de Andrade. No Centro, a um quarteirão do metrô Anhangabaú e a dois do Theatro Municipal e do Viaduto do Chá. A importância da localização não é menor que a história de vida da casa. Pois na cidade de São Paulo, de cada cem restaurantes abertos, 75 fecham após cinco anos e de 95 a 97, após 10 - segundo dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). Administrado pela terceira geração da família Lenci, o Gigetto busca conciliar o moderno e o tradicional. E manter as portas abertas até o último cliente, como sempre.

O Gigetto chegou a ser batizado de escritório pelo saudoso dramaturgo Plínio Marcos (autor das peças Dois perdidos numa noite suja e Navalha na Carne), que sempre estava à sua mesa cativa, principalmente no horário noturno e no jantar.

A tradição é uma coisa muito forte. O Gigetto criou escola de chefes de cozinha, de garçons. Em segundo lugar, é a comida, que realmente é muito boa. Em terceiro lugar, é o preço, disse Álvaro de Moya, ex-diretor da TV Excelsior, em 20 de maio de 2006.

O Gigetto serve pratos da cozinha italiana e internacional. A maioria dos pratos à la carte da casa serve duas pessoas, exceto os pratos individuais do almoço especial de sábado (cotechino com lentilhas, rabada com polenta, dobradinha à parmigiana e ossobuco com polenta e as opções do menu executivo.

As massas enriquecidas com diversos molhos. A mais pedida é o Capelletti à Romanesca, receita de sucesso criada pelo Gigetto na década de 50.

As carnes são outra atração turística da casa, com destaque para o Cabrito ao Forno e os vários tipos de filets. O Strogonoff, por exemplo, atrai famílias já na terceira geração. Escalopinho, saltimboca e picadinho são outras opções.

Peixes e frutos do mar marcam presença no cardápio do Gigetto. Alguns destaques são o abadejo, a pescada, as lulas, os camarões e os famosos risotos (de camarão e frutos do mar). O bacalhau é um astro à parte, oferecido em três opções, além do risoto.

Entre as sopas, o Gigetto assina o Capelletti ao Brodo, além da Canja, Cremes e a Sopa de Legumes.

O Gigetto atende grupos de 20 a 150 pessoas, criando cardápios exclusivos para personalizar todo tipo de evento (casamentos, confraternizações, reuniões executivas, turismo cultural, festas familiares etc.).

A lenda sobre o nome Gigetto

Giovanni Bruno, ex garçom do Gigetto, amigo da família Lenci há três gerações, conta que Gigetto era o apelido de Luigi e, por isso, o dono deu nome ao restaurante. Outra versão conhecida é que a casa recebeu o nome de um antigo restaurante de Roma. Folclore e lendas sobre o Gigetto existem aos montes, porque a casa faz parte da história e do i

  • Gigetto - Fotos
    Gigetto

Deixe seu comentário :)